Ost - Recapagens de pneus, jateamento e pintura industriais e outros serviços automotivos.
Vipal
Novateck
Carrinho
(51) 3534.7150
contato@ost.ind.br

Institucional

Processos de recapagem

Banner

Processos de recapagem

 

Aplicação e processos

 

O que são e quais são os processos

 

Pneu remoldado: o pneu é reconstruído (banda de rodagem e laterais) a partir de uma carcaça usada. O processo de remoldagem retira a banda de rodagem e a lateral usada, e a nova cobertura se estende de talão a talão, ou seja, cobre toda a área do pneu incluindo suas laterais. A remoldagem é realizada através do processo “a quente”, ou seja, os pneus são submetidos a moldes individuais por um período de tempo que varia conforme o tamanho do pneu a uma temperatura de 150ºC e com 150 libras de pressão.

 

Pneu recapado: o pneu recapado é aquele que tem sua banda de rodagem (parte do pneu que entra em contato com o solo) substituída. A recapagem pode utilizar o processo “a quente” ou “a frio”. No processo a frio, a banda aplicada no pneu já vem com os sulcos desenhados de fábrica. Nesse sistema, o processo ocorre através de autoclave pressurizada a 60 Lbs (aprox. 4Kg) à temperatura efetiva de 110ºC. Os pneus são inflados com 90 Lbs (aprox. 6Kg) e permanecem nessas condições por um período de 3 horas. No processo a quente, é utilizado o camelback para repor a borracha desgastada na rodagem que é vulcanizada em moldes, conforme já explicado no item anterior.

 

Pneu recauchutado: no pneu recauchutado, a banda de rodagem também é retirada, entretanto, a nova banda tem uma área de cobertura maior do que a usada no pneu recapado, chegando a cobrir os “ombros” do pneu, ou seja, a junção entre a banda de rodagem e parte da lateral dos pneus. O processo de recauchutagem é realizado a quente.

História e origem

 

Qual a origem dos processos de reforma de pneus? Quando começou a ser feito? Onde surgiu esse processo e por quê?

 

O norte-americano Charles Goodyear descobriu, no século XIX, o processo de vulcanização, essencial na fabricação de pneus. Mas o desenvolvimento da indústria automobilística fez aumentar a demanda pela borracha.

Com a Segunda Guerra Mundial (1937–1945) houve queda na produção de borracha natural do Extremo Oriente e o Brasil não conseguiu atender à demanda sozinho, surgindo então, a necessidade de se criar a borracha sintética a partir do petróleo. A primeira patente mundial para a borracha sintética foi obtida em 1909, na Alemanha, por F. Hofman.

Os pneus passaram a ser produzidos com uma mistura dos dois tipos de borrachas: natural e sintética. A reforma de pneus passou a ser uma alternativa viável contra o desperdício de matéria-prima, uma vez que aumenta a vida útil dos pneus e utiliza muito menos borracha do que um pneu novo.

 

Qual dos processos é o mais antigo?

 

O processo mais antigo é a recauchutagem.

 

O que é a mais comum no Brasil?

 

Atualmente, o mais comum no Brasil é a recapagem.

Vantagens

 

Desses três processos, qual a relação de preços para um pneu novo?

 

Temos que levar em consideração os diferentes tamanhos e usos de pneus para ter precisão nesse número. Em geral, verifica-se que o pneu reformado custa de 30% a 40% do preço de um pneu novo.

 

Qual a garantia que os fabricantes oferecem aos clientes?

 

A reforma de pneus é uma atividade que oferece total segurança aos usuários quando realizada de maneira correta. É importante o consumidor estar atento ao reformador a ser escolhido. É a utilização de borracha de qualidade e a sequência correta e rígida dos procedimentos de reforma que garantem maior durabilidade e total segurança ao pneu reformado.

Incrementos

 

Todos os perfis de desenhos fora-de-estrada são baseados no desenvolvimento das fábricas ou são invenção da empresa que faz o processo?

 

As duas formas são encontradas. A Desenvolvida pela fabricante de produtos para reparos e reforma de pneus e câmaras-de-ar. Também temos a Oligator desenvolvida pela Pneus Ost, em dezembro de 2005, foi a primeira banda off-road do mercado com tração lateral incorporada, posteriormente surgiram outras, como a VJ-900 e VJ-910.

Custo-benefício

 

Benefícios da reforma

Meio ambiente

 

Qual a relação desses processos com o meio ambiente?

 

A reforma de pneus é uma atividade essencialmente verde. A utilização deste processo permite dar novas vidas úteis ao pneu com a mesma durabilidade de um pneu novo, a mesma segurança e muito mais economia – princípios fundamentais da sustentabilidade. Quando um pneu é reformado através da substituição da banda de rodagem, acontece o aproveitamento de 75% da estrutura original do pneu. Sem contar que um mesmo pneu pode ser reformado até três vezes.

Cada pneu reformado economiza, em média, 57 litros de petróleo. Ou seja, mil reformas economizam petróleo para abastecer 2000 caminhões. Ao levarmos em consideração que o petróleo é um recurso natural caro e não renovável eis aqui um grande benefício dessa atividade: economizar o chamado “ouro preto”.

O mesmo vale para a redução do consumo de energia elétrica. A recapagem proporciona uma economia de 80% de energia e matéria-prima em relação à produção de pneus novos.

Empresa

 

Há quanto tempo a empresa está no segmento?

 

A Ost teve o início das atividades em 1978, como borracharia, venda de pneus usados e novos e recapados.

O fundador Delmo Affonso Ost, era funcionário de uma empresa do setor e arriscou-se em um negócio próprio. Hoje a empresa trabalha com diversas linhas de recapagens e atende um público muito diversificado em grande parte do estado e do Brasil.

Procuramos dentro do mercado de reformas de pneus, atender e orientar nosso consumidor sobre os produtos mais corretos, a serem aplicados de acordo com o seu veículo. A empresa possui em sua planta fabril, condições de produzir reformas em diversos pneus específicos, fora do padrão. Reformamos desde pneus de quadriciclos até pneus gigantes fora-de-estrada.